sábado, 21 de agosto de 2010

Salmo tão precioso...

Não me perguntem como nem por que, mas desde muito pequena sempre vi Deus como um Pai. Essa, graças a Ele, é uma dificuldade que eu nunca tive! Talvez porque minha mãe se separou do meu pai [biológico] quando eu tinha uns dois anos de idade e ele nunca fez questão de se aproximar de nós, desde cedo eu encontrei em Deus essa figura tão especial: Pai. Ele me deu outro pai terreno muito especial que é benção na minha vida, mas já estava feito, Ele já era, antes de qualquer coisa, o meu Pai. E foi se tornando também, com o tempo, meu Paizinho, meu Pai Celeste... e também com o tempo as outras pessoas da Trindade foram ficando claras pro meu entendimento e pro meu relacionamento.

Talvez também por causa disso que eu contei, tem um Salmo que me é muito querido e muito especial. E por meio d'Ele Deus, meu Pai, costuma falar tanto comigo... É como se eu me sentisse "aninhada" sob Suas penas, acarinhada por esse Deus que nos criou e nos ama tanto. 

Tinha um tempinho que queria postar esse Salmo aqui, tentar falar algo à altura dele, mas aí essa semana me chega uma devocional [sempre elas!] do Max Lucado falando exatamente sobre um verbo presente nestes versos preciosos. E não me resta muita escolha, né? Apesar da falta de tempo, preciso de espaço aqui para compartilhar essas coisas.

SALMO 139


"SENHOR, tu me sondas e me conheces.
Sabes quando me assento e quando me levanto; de longe penetras os meus pensamentos.
Esquadrinhas o meu andar e o meu deitar e conheces todos os meus caminhos.
Ainda a palavra me não chegou à língua, e tu, SENHOR, já a conheces toda.
Tu me cercas por trás e por diante e sobre mim pões a mão.
Tal conhecimento é maravilhoso demais para mim: é sobremodo elevado, não o posso atingir.
Para onde me ausentarei do teu Espírito? Para onde fugirei da tua face?
Se subo aos céus, lá estás; se faço a minha cama no mais profundo abismo, lá estás também;
se tomo as asas da alvorada e me detenho nos confins dos mares,
ainda lá me haverá de guiar a tua mão, e a tua destra me susterá.
Se eu digo: as trevas, com efeito, me encobrirão, e a luz ao redor de mim se fará noite,
até as próprias trevas não te serão escuras: as trevas e a luz são a mesma coisa.
Pois tu formaste o meu interior tu me teceste no seio de minha mãe.
Graças te dou, visto que por modo assombrosamente maravilhoso me formaste; as tuas obras são admiráveis, e a minha alma o sabe muito bem;
os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui formado e entretecido como nas profundezas da terra.
Os teus olhos me viram a substância ainda informe, e no teu livro foram escritos todos os meus dias, cada um deles escrito e determinado, quando nem um deles havia ainda.
Que preciosos para mim, ó Deus, são os teus pensamentos! E como é grande a soma deles!
Se os contasse, excedem os grãos de areia; contaria, contaria, sem jamais chegar ao fim.

Tomara, ó Deus, desses cabo do perverso; apartai-vos, pois, de mim, homens de sangue.
Eles se rebelam insidiosamente contra ti e como teus inimigos falam malícia.
Não aborreço eu, SENHOR, os que te aborrecem? E não abomino os que contra ti se levantam?
Aborreço-os com ódio consumado; para mim são inimigos de fato.
Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração, prova-me e conhece os meus pensamentos;
vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno
."


Essa é a devocional do dia 16 de agosto, tinha que ser Deus na vida do Lucado mesmo pra soltar umas coisas dessas em cima da gente! Tem como ficar impassível??? hehe Don't think so...

Entretecido
"Pois tu formaste os meus rins; entreteceste-me no ventre de minha mãe." Sl 139.13 (Almeida RC)

"Entretecido" é como o salmista descreve Deus criando o homem. Não manufaturado ou produzido em massa, mas entretecido [= tricotado]. Cada fio da personalidade ternamente entrelaçado. Cada corda de temperamento deliberadamente selecionada. O Criador, o Mestre Tecelão, tecendo a alma.
Cada uma diferente. Não duas iguais. Nenhuma idêntica. [Max Lucado]

E como gosto de colocar uma musiquinha aqui quando cabe, fica essa que recentemente ganhou um espaço especial na minha memória...

No dia 31 de julho eu tive o prazer de cantar parte desse poema lindo junto com a Banda Resgate lá na Getsêmani. Resgate fez parte da minha adolescência e muito gostoso ouvir as músicas antigas e as novas também... mas cantar junto com eles a favorita, mesmo com a cabeça explodindo de dor-de-cabeça [rsrs], foi um lindo presente do meu Pai...


Um comentário:

Nathália Louback. disse...

Oi Sue. Tudo bem? Vim aqui lhe dizer que seu blog está cada melhor. É realmente maravilhoso poder falar desse relacionamento abençoado que se pode ter com Deus.
Já estou seguindo há algum tempo, se quiser, depois dá uma olhada no meu blog www.docereflexo.blogspot.com