terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Papo de mulher de Deus. [parte 4 e final]

Para ler a primeira, segunda e terceira partes deste estudo, é só clicar nos links.
_______________________________________________________________________



Boaz! Boaz era um homem rico e importante, mas ainda assim se sentiu lisonjeado por Rute procurá-lo ao invés de um homem mais jovem. Estima-se que Rute tivesse por volta de 30 anos.

Acho lindas as atitudes de Boaz diante da aproximação e pedido de Rute. Uma das coisas que ele diz pra ela é que "farei tudo que você quiser ou pedir. Todos na cidade sabem que você é uma mulher corajosa - uma pérola!" (cap. 3, v.11 nA Mensagem).Já pensou ouvir uma coisa assim do carinha cheio de Deus que faz seu coração bater mais rápido? É claro que temos uma parte fundamental para que algo assim seja dito, né?

Eu não sei vocês, mas parece que existem muito poucos Boaz por aí, né? Quantos neste mundo se sentem atraídos pela coragem, boa fama, esforço feminino? Mesmo no meio cristão, entre servos muito usados por Deus ou sinceramente desejosos de o serem, parece que esse tipo de qualidade não faz muita diferença. Bem, talvez isso aconteça só em Minas, mas ainda não tive motivos para pensar de outro jeito. Mas ainda que eu desabafe assim, sei em quem espero e sei que Ele tem poder para transformar mentes, corações e até o olhar; e sei também que Ele ainda preserva pessoas que pensam e reagem de uma forma diferente da maioria nesta área da vida.

Não sei o contexto em diferentes lugares, mas vivo em uma capital com muitas grandes igrejas e um número muito maior de mulheres que homens, principalmente dentro das igrejas. Muitas mulheres lindas e solteiras, crentes, nem todas cristãs. E é um pouco revoltante ver tantos homens com potencial para viver o melhor de Deus pra suas vidas escolherem apenas com os olhos.

Mas Boaz era diferente. E explicou pra Rute que havia um parente mais próximo que ele, que teria direito de resgatá-la. Honesto que era, ele precisava colocar a situação para o homem antes de dar qualquer garantia à moabita. Passada essa primeira conversa em que as intenções foram esclarecidas, ele disse para Rute VOLTAR a dormir a seus pés, para que descansasse. E quando o dia estava prestes a clarear, Boaz se preocupou com a honra dela e arrumou uma forma dela sair sem vista de lá. Ele a orientou (bonitinho, né?) sobre como segurar o manto e ainda cuidou para que ela não voltasse para sua sogra com as mãos vazias: despejou mais de 20 quilos de cevada sobre o manto que ela tinha consigo.


Mal Rute chegou em casa, Noemi aguardava ansiosa pelas notícias. Rute contou tudo que aconteceu e ouviu as seguintes palavras de sua sogra, que também servem para nós (ao menos a primeira parte, já que nem todas esperamos a ação de um Boaz no momento): "Fica tranquila, minha filha, até saberes como terminará tudo isso; com certeza este homem não descansará enquanto não solucionar ainda hoje esta questão!" (cap.3, v.18, versão King James). Não é interessante a sabedoria desta mulher? Ela espera o momento certo para aconselhar a amiga-quase-filha sobre como proceder e, depois que Rute fez a parte dela, a Bíblia afirma que ela "assegurou" a Rute o versículo transcrito acima. Você assegura algo a uma pessoa para tranquilizá-la mesmo. Em uma situação como essas, Rute estava como qualquer uma de nós estaria: empolgada e cheia de ansiedade, caso contrário não precisava ouvir essas palavras de Noemi. É como se Noemi dissesse a Rute, "Você fez a parte que lhe cabia nesta história, agora descanse. Você está lidando com um homem de verdade".

Cada um/a sabe como deve viver sua vida e todos os cristãos e cristãs honestos podem contar com a direção do Espírito Santo em todas as suas decisões. Me irrita estabelecer-se um padrão e falar que deve ser seguido porque é bíblico quando a própria Bíblia apresenta histórias e comportamentos diferentes guiados pelo próprio Deus. Entendam, não estamos falando aqui de Jezabel, uma inimiga feroz do Deus Altíssimo, mas de Rute, a bisavó do homem segundo o coração dEle. Tenho plena convicção de que santidade é um assunto urgente para nossa geração, mas sempre que criamos um padrão para a massa precisamos estar cientes de que haverá danos colaterais. Depois de ensinar muitos a necessidade de esperar, precisaremos ensinar a necessidade de agir - segundo a direção de Deus, mas agir. Uns fingem que escolhem esperar - escolhem esperar até conhecer outra pessoa interessante - e outros usam a desculpa da "espera" para se manterem na mais completa apatia. Já outros podem seguir no caminho errado da espera, ou seja, ao invés de permitirem que este tempo seja de mudança de mentalidade, de ruptura de padrões idealistas ou mundanos demais, podem criar uma fantasia da qual nenhuma pessoa real poderá despertá-los. Talvez volte a escrever isso mais pra frente, mas tenho pensado muito nesse assunto e não consegui não despejá-lo agora.

Voltando ao fio da meada, Noemi falou e foi "batata"! Na versão A Mensagem, o capítulo 4 começa dizendo que Boaz foi "direto" para a praça da cidade e ficou "aguardando". Boaz também estava ansioso para resolver tudo! Assim que o parente apareceu ele o puxou de lado, chamou os líderes da cidade e deu início aos procedimentos que, segundo o costume judeu, deveriam ser tomados nesta hora. Depois de uma boa conversa e algumas explicações, o parente cedeu seu direito de resgatador a Boaz, que confirmou seu compromisso com Rute e Noemi na frente da cidade, que foi sua testemunha. E a resposta da cidade foi das mais legais! Diante de Boaz, eles abençoaram Rute fazendo menção às grandes "matriarcas" do povo de Israel, Lia e Raquel, e abençoaram, também, aos filhos que surgiriam desta união como Perez, filho de Judá, que faziam parte da linhagem do próprio Boaz.

Com tudo certo, para resumir o finalzinho deste livro que nos ensina muito!, Boaz se casou com Rute e eles tiveram, sim, uma família abençoada. Noemi foi cuidada de uma forma que todos podiam atestar. Suas amigas lhe diziam que sua nora, Rute, era melhor para ela do que seriam sete filhos que ele tivesse em vida!

Uma coisa que quero pedir a quem quer que possa ler este estudo é que ore a Deus, sem pressa pela resposta, antes de tomar qualquer atitude. Meu desejo ao escrever isso não é incentivá-las a tomar a atitude, mas mostrar que a própria Bíblia apresenta papéis diferentes para as diversas mulheres que enchem seus capítulos com exemplos de fé verdadeira. Mostrar, ainda, que dá pra mergulhar mais fundo no caráter dessas mulheres e tê-las como modelo de vida e fé. Busquem nEle a atitude que deve ser tomada, quando deve ser tomada e com quem deve ser tomada. Não vamos gastar nossas fichas com qualquer um. Melhor seguir colhendo espigas e buscando a vontade dEle do que perder tempo com quem não compensa.

Que Ele seja o árbitro em nossos corações, a nos mostrar Sua boa, agradável e perfeita vontade para todas as áreas de nossas vidas! 


Let's just take our time
Vamos apenas aproveitar o nosso tempo
There's nothing else to do
Não há nada mais para fazer
What better way to spend the night
Que melhor jeito de passar a noite
Than wasting it with you
do que gastá-la com você?

The moon has won the war
A lua venceu a guerra
The daylight waits to end
A luz do dia espera para acabar
Stay here by my side
Fique aqui do meu lado
We'll watch the struggle start again
Vamos assistir a luta começar novamente

I need you now and forever
Eu preciso de você agora e sempre
So stay right here with me
Então fique aqui comigo
Don't ever leave
Nunca me deixe
Love was kept from me like a secret
O amor foi mantido em segredo para mim
And I swore that I was through
E eu jurei que seria assim até o fim
Until you, until you
Até você, até você

The city settles down
A cidade vai voltando ao normal
I watch you as you sleep
Eu assisto você dormir
There's a silent celebration for
Há uma celebração silenciosa por
Every breath you breathe
Cada respirar seu
Now this all makes sense
Agora tudo isso faz sentido
With you as company
Com você como companhia
I left all I knew and found
Eu deixei tudo que sabia e encontrei
A better part of me, yeah
Uma parte melhor de mim, sim

I need you now and forever
Eu preciso de você agora e sempre
So stay right here with me
Então fique aqui comigo
Don't ever leave
Nunca me deixe
Love was kept from me like a secret
O amor foi mantido em segredo para mim
And I swore that I was through
E eu jurei que seria assim até o fim
Until you, until you
Até você, até você

The time it took to find you
O tempo que demorei pra te encontrar
I would wait again my baby
Eu poderia esperar de novo, meu amor
The feeling that I feel for you now
O sentimento que tenho por você agora

I need you now and forever
Eu preciso de você agora e sempre
So stay right here with me
Então fique aqui comigo
Don't ever leave
Nunca me deixe
Love was kept from me like a secret
O amor foi mantido em segredo para mim
And I swore that I was through
E eu jurei que seria assim até o fim
Until you, until you
Até você, até você

sábado, 21 de dezembro de 2013

O Natal de algumas Martas.

Já percebeu como é fácil nos tornamos "Martas" neste tempo de Natal? Não me entendam mal, sempre me identifiquei com Marta e enxergo muitas virtudes na maneira dela de ser retratada na Bíblia. Marta era uma mulher preocupada em oferecer o melhor ao seu Mestre. Só que na ânsia de oferecer o melhor, ela acabava perdendo o melhor que Ele também tinha pra ela. Sempre tento me vigiar para não cair neste erro. Nem sempre consigo.

Sempre que o Natal se aproxima, meu coração se enche de uma emoção diferente. Mas, querendo ou não, a gente acaba correndo tanto, que não conseguimos aproveitar os momentos como realmente gostaríamos. O Natal fica apenas na decoração. Precisamos nos desdobrar e dividir pra conseguir estar presente em todos os grupos dos quais fazemos parte. E nos esforçar para conciliar agendas e compromissos. Não é fácil.

Minhas duas últimas semanas, como a de meio mundo, foram muito, mas muito cheias e corridas. Compromissos, afazeres, necessidades. Coisas muito boas, mas que nesta época, com trânsito, chuva e juntando tudo, acaba gerando algum estresse, no final das contas. E hoje eu era só estresse. Estamos na reta final dos compromissos pré-Natal e eu já acordei estressada por não ter conseguido acordar tão cedo quanto gostaria. Mil coisas pra fazer, mil lugares pra ir antes de começar uma das confraternizações de final de ano.

Falei muito alto em casa o dia todo pra tentar explicar em qual hora eu deveria fazer cada coisa e porque, qual o melhor caminho pra seguir, e porque. Não tinha como ir sozinha buscar tudo que eu precisava, daí eu ainda tinha que convencer minha mãe a me acompanhar na hora e da forma que era necessário. Além do que, para uma motorista de finais de semana como eu, eu ainda precisaria fazer um caminho novo e passar pela BR em dia de chuva e já praticamente recesso de Natal.

Sei que eu estava chata, estressada, cansada.

Seguimos, então, para buscar mais uma encomenda pra nossa confraternização, completando mais um item da check-list do dia. Apesar de ter passado praticamente em um abismo sem mureta em uma BR movimentada numa tarde de chuva (rsrs), chegamos ao endereço sem muita dificuldade. 

Aí aconteceu o que me inspirou a escrever e me pegou totalmente de surpresa (me deixou constrangida diante de Deus). Paramos o carro e batemos a campainha. Um moço veio e entregou nossa encomenda, explicou o melhor retorno pra nós e, do nada, disse que eu era muito bonita, que eu tinha um semblante que transmitia uma coisa muito boa, que gostou de mim - umas coisas assim. Um cara que nunca me viu na vida e que, senão me engano do histórico informado, não curte a classe feminina.


E aí eu me lembrei do tanto que falei alto, briguei, reclamei, bati o pé nesse dia e fiquei com vergonha. Porque essa coisa boa que ele conseguiu ver não era eu, ou, pelo menos, não era mérito meu. Era o Espírito Santo, me lembrando que continuava aqui, firme e forte e lindo, apesar do meu dia e do meu estresse e da minha correria.

Definitivamente preciso ser uma melhor representante dEle nessa terra. Sinceramente, li e ouvi umas coisas nestes últimos dias a meu respeito que me deixam muito constrangida. Se tem uma coisa que peço a Deus é sabedoria do Alto pra viver cada dia de uma forma que eu coloque um sorriso no rosto dEle. Não quero viver uma religiosidade fria nem falar uma língua que só os crentes entendem. Não sei como - mas Ele, que sabe, pode e precisa me ajudar nisso -, mas quero viver de uma forma que Ele fique evidente. E o vestir e o falar são apenas alguns reflexos disso. Talvez eu me estenda nesse assunto qualquer dia.

Por agora, quero apenas compartilhar minha vergonha feliz e desejar que o Natal seja uma atitude em nossos corações a cada dia e que possamos aproveitar cada momento com alegria e sabedoria.

"Uma vez por ano, a cada Natal, por alguns dias pelo menos, nós e milhões de nossos vizinhos nos desviamos de nossas preocupações com a vida reduzida à biologia ou economia ou psicologia e nos unimos em uma comunidade de admiração.
Eugene Peterson

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Segunda-feira de aniversário...

Não sei porque, mas me deu uma vontade de escrever um post tipo diário, para falar como foi esse dia, meu dia.

No primeiro dia do meu 31° ano de vida, acordei (senão nem estaria escrevendo aqui rs) e, por um momento, tive a impressão de que o tempo estava fechado. Mas insisti olhando por entre o tecido, que não é fino, da cortina, e consegui ver que o céu estava azul! Sim, o sol brilhava lá fora. 

Mas apesar da minha empolgação costumeira em datas especiais, parecia uma segunda-feira comum, e de fato o era - o é. Dei uma tratada no cabelo, coloquei um vestidinho, passei um batom e fui, tudo para tentar me fazer sentir que não era um dia comum.

A caminho do trabalho vi uma cena curiosa dentro do ônibus. Um rapaz em pé lá na frente carregava um ramalhete de flores. Tão antigo quanto essa palavra, ramalhete, é este hábito de se carregar flores nesta quantidade. Na verdade em qualquer quantidade já é meio raro, né, assim, então... E o legal é que o cara não tinha #professorGirafalesfeelings, ele era jovem, de óculos escuros, um estilo bem atual. Achei bem bacana isso... 

O dia seguiu devagar. Eu, devagar pra pegar no tranco. Meu estômago, devagar também, sem muita vontade de trabalhar. Tudo parecendo parado... Nem o sol brilhava lá fora com muita vontade mais... Na minha impaciência, comecei a importunar um amigo e começamos a fingir que estávamos discutindo. Mas ainda apenas uma segunda-feira. Sem muita emoção.

E assim continuou. Mas o amor que a gente recebe vai muito além da emoção. Tantos se lembraram ou, tendo sido lembrados, tiraram um minuto para manifestar carinho. No corredor mesmo, quando cheguei ao trabalho, um colega que nem é do meu setor já me parou, me deu um abraço e tirou meus pés do chão. Muitos recados, sms's e manifestações que eu não esperava. Uma segunda-feira comum, sim, mas a minha segunda-feira.

Já com medo de perder meu último ônibus do dia, quando só havia mais duas pessoas na assessoria, me despedi, preparada pra correr, e fui chamada. Era mais um abraço de aniversário para mim. Saí e fui chamada mais uma vez, quando recebi um presente de todos os colegas. Me enganaram direitinho. Deixaram para entregar aos 45' do segundo tempo, quando a maior parte já teria ido embora, só pra eu pensar que realmente se esqueceram desse nosso "costume" recém-adquirido! Um presente lindo, tão eu, que amei à primeira vista!

A caminho de casa, já me aproximando de meu ponto de descida, começou a chover horrores. Me lembrei de algo que tinha pensado quando estava falando com Deus sobre o clima de hoje. "Do I want shelter from the rain or the rain to wash me away?" (Quero abrigo da chuva ou a chuva para me lavar?). Na verdade, eu queria a chuva para me lavar... mas como uma mulher faz isso com uma mochila cheia de coisa importante, incluindo o celular? É difícil ser livre numa situação dessas... Por enquanto, manterei somente na metáfora mesmo... trazer pra realidade vai levar um tempo ainda.

Em casa, foram tantos telefonemas que custei a conseguir comer alguma coisa. Mas não estou reclamando. rs Lanchinho bom demais preparado pela mamãe, um pouquinho de programa leve (Man vs. Food é leve? hahaha)... Foi, enfim um lindo dia.

Mesmo sem emoção, sem badalação, foi um dia comum, mas mais um dia que Ele fez. E um dia que Ele me deu de presente. Foi um presente cada palavra, mensagem, ligação, abraço... É um presente saber que Ele está cuidando de tudo. O primeiro dos 30 foi um ano de novos desafios e lutas diferentes, mas em tudo isso sei que tive a oportunidade de crescer e aprender um pouquinho mais... de uma lista de muuuuuitas e muuuuuitas coisas que ainda tenho para aprender!

Deus é bom e gracioso para comigo. De uma forma às vezes tão simples e tão evidente que chego a ficar constrangida. Sim, foi um dia comum, uma segunda-feira bem comum. Mas foi mais um dia com Ele e um dia da forma como Ele desejou que fosse. Um dia cheio de presenças que, mesmo à distância, deixaram sua marquinha, e outras que, tão pertinho, me lembraram que esse dia comum era meu. D'Ele pra mim. Concluo com essa música, que é uma pergunta que sempre ouço em meu coração... "What am I?"


sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Um tributo a Bebo Norman.


Feriado. Dia lindo lá fora, de sol. Mas preciso escrever sobre algo, ou alguém, que despertou, de repente, uma onda arrebatadora de nostalgia, acompanhada de uma certa melancolia e antecipando uma saudade já enorme.

Para muitos, esse post pode parecer coisa de doido. Mas acho que os que me conhecem ou me entendem um pouco melhor, vão achar tudo completamente compreensível e até (talvez) compartilhem desse misto de sentimentos que inunda essa tarde.

Lembram quando contei que, ao terminar os livros escritos por Moisés, por exemplo, ficava triste? Que era como se durante aquele tempo em que li e acompanhei sua história, conseguia me sentir próxima e sentia uma certa tristeza quando esse "compartilhar" acabava? Pois bem. Vocês já perceberam o quanto eu amo e sou abençoada pela Contemporary Christian Music (Música Cristã Contemporânea - usei em inglês porque os que mais amo cantam nessa língua). Imaginem descobrir que um dos cantores cujo trabalho inspirou tanto você durante anos e continua abençoando sempre... vai se aposentar?

Pois é isso que aconteceu há pouco. Somente uma hora atrás vi um anúncio que foi feito ainda no primeiro semestre - na verdade parte da repercussão dele. Seu trabalho pode ser descrito como "liricamente transparente e musicalmente vulnerável," que "fornece uma base comum para o compositor e o ouvinte colaborar em um discurso sobre detalhes curiosos da vida, e como essas incógnitas do dia-a-dia funcionam no maior mistério da fé."

Foi apenas no início de 2007 que conheci a música de Jeffrey Stephen "Bebo" Norman - americano nascido no estado da Georgia no ano de 1973. Um ano após o lançamento de seu álbum "Between The Dreaming and the Coming True" (Entre o Sonho e a Realidade). Sempre achei curioso o fato de que não apenas as músicas dele encontravam eco dentro de mim, conseguiam ir lá no fundinho mesmo, mas também os títulos de seus álbuns eram especiais e sempre ilustravam meus álbuns de fotos reais e coisas no meu imaginário: "Myself When I Am Real" (Eu mesmo quando sou real), principalmente.

Estou escrevendo sem saber como continuar, pensando se apenas um post será suficiente para tudo que gostaria de escrever neste momento. São seis anos de companhia apenas, mas são tantas músicas que se tornaram especiais pra mim, participaram de meu crescimento e até contribuíram para me ajudar a compreender cada tempo. Poesia musicada que louva ao Único que é Digno. Leveza, vulnerabilidade, sinceridade, esperança, crescimento... são tantas palavras que eu poderia associar à música de Bebo. Capítulo que se encerra este ano. Não que o trabalho de 20 anos vá deixar de falar... Muito pelo contrário. A poesia é uma arte que resiste ao tempo e a Palavra de Deus, então, nem se submete a ele...

Já sinto saudade. A cada música que vai tocando aqui no modo aleatório, novas lágrimas são formadas - sim, sou sentimental, muito prazer [rs]. Bebo, meu amigo. Mesmo sem saber. Quisera poder ter assistido a uma de suas apresentações ao vivo. Quisera ter podido comprar seus álbuns aqui no Brasil, pra ouvir na maior altura. Quisera poder dizê-lo o quanto o admiro pela coragem de começar do zero aos 40 anos de idade, com esposa e dois filhos (até onde eu sei). Segundo ele mesmo escreveu, em abril deste ano:

"É difícil se afastar de algo que transformou tanto minha vida e consumiu tanto do meu tempo nos últimos anos, algo em que tenho visto o mover de Deus tão profundamente. E, em um nível prático, é difícil se afastar de uma ocupação que tem sido tão gratificante e tão estável, o único trabalho que eu já tive, e que ainda provê tão bem para minha família. Mas eu sempre soube e prometi a mim mesmo que nunca iria abandonar um chamado em certa direção baseado no medo do que viria a seguir. Isso não é fé de maneira alguma, eu acho". Bebo Norman

E por que ele está abandonando essa carreira tão satisfatória, então? Segundo ele, sempre se considerou um "músico por acidente" e sempre teve um sentimento de que esse não seria o caminho dele pra sempre. Ele ainda disse que tudo que envolve uma carreira musical, como turnês, publicidade, falta de consistência, ansiedade e tempo fora de casa sempre foram uma luta para ele e têm sido motivos de oração dele e de sua esposa, Roshare, já há alguns anos. Detalhe que ele disse que não tem planos de seguir trabalhando com música, seja com produção musical ou como compositor... nada, nada - ao menos até que uma "força maior" o mova nesse sentido novamente.

Bebo, Roshare, Smith e Miller.
Repito que vou sentir falta dessa voz, desse trabalho, mas que admiro demais essa decisão corajosa e peço a Deus que continue conduzindo este servo dEle, abençoando sua vida e sua família. É estranho para nós nos depararmos com esse tipo de coisa. Vemos tanta gente, com talento mínimo ou mesmo sem talento, procurando na música (e falo de música cristã mesmo) um meio de vida, que ver um cara com tanto talento e inspiração do Espírito Santo na música que faz, mudar de planos, nos surpreende.

O Bebo fez parte da minha história. Penso em como canções como I Know Now, Long Way Home, All That I Have Sown e Where The Trees Stand Still me ajudaram a ir além das paredes e encontrar um lugar de paz. Em como Hear It From Me abriu meu entendimento para o fato de Deus se agradar do meu louvor apesar da minha falta de talentos ou criatividade em tantos momentos. Em como Time Takes It's Toll on Us me lembrava que a esperança sempre ressurge e Bring Me To Life e Ocean eram como um mergulho nas águas que limpam e renovam. Sunday, A Page is Turned, My Love e Perhaps She'll Wait alimentaram alguns devaneios românticos. Lembro de como Deus usou o single recém-lançado Here Goes para anunciar mudanças que estavam a caminho... De como Borrow Mine me emprestou, ironicamente, as palavras quando uma amiga sofria. E em como Great Light of the World se tornou uma oração e Born To Die foi muito mais que uma canção de Natal... 

Ah, como sou grata a Deus por ter usado este servo durante todos estes anos e ter usado seu trabalho como instrumento para abençoar minha vida e meu coração. Não consigo imaginar minha caminhada sem ter o Bebo como trilha. 

Por isso mesmo, é possível que eu não consiga encerrar este assunto hoje. Só no notebook são 90 músicas dele! Isso sem o último álbum, lançado no segundo semestre de 2012, que só consegui "baixar" nas últimas horas - e cabe a ressalva de que, segundo Bebo, foi um trabalho digno de encerrar sua atuação na música. Entre tantos álbuns incríveis, é estranho reconhecer que é verdade - Lights Of Distant Cities ficou lindo demais! Por este motivo também, como escolher uma música pra encerrar esse post? Inclusive, deixo o link de uma de suas últimas apresentações ao vivo, cantando a música The Middle na turnê de despedida realizada com os amigos (outros queridos) Sara Groves e Andrew Peterson: http://youtu.be/kCNEWe70b4k
Deixo também link do post em que ele explica sua decisão: http://bebonorman.com/2013/04/09/something-altogether-new/

Então deixo aqui meu tributo. Humilde, pequeno, como eu mesma sou. Mesmo que ele nunca saiba, escrevo, porque sou grata a Deus por ter usado a música e testemunho deste servo para marcar meus dias - e creio que vai continuar usando. Obrigada, Senhor, obrigada, Bebo. Mesmo depois de mais de seis mil caracteres e mil palavras, é como se ainda não fosse suficiente para expressar ou agradecer. Por isso, "O Senhor te abençoe e te guarde; o Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti e te conceda graça; o Senhor volte para ti o seu rosto e te dê paz." [Amém!] Números 6.24-26

Here goes everything, my friend. :)




I Know Now


Bebo Norman

I took a walk down to the river
Fiz uma caminhada até o rio
A broken heart in my hands
Um coração quebrado em minhas mãos
Before the Taker and the Giver
Diante do que tira e do que doa
To make my final stand
Para tomar minha posição final

I waded out into the water
Eu entrei na água
And I sank just like a stone
E afundei como uma pedra
But I was lifted by the Angel
Mas eu fui levantado pelo Anjo
To never be alone
Para nunca mais estar sozinho

And I never knew
E eu nunca soube
I could lay my burdens down
Que poderia entregar meus fardos
And I never knew
E eu nunca soube
Redemption could be found
Que poderia encontrar redenção
But I know now
Mas eu sei agora

I saw Your mercy in the morning
Eu vi Tua misericórdia na manhã
In the color of the sky
Nas cores do céu
I let the Spirit wash me over
Eu deixei o Espírito me lavar
And the sun began to rise
E o sol começou a sair

I took a walk down to the river
Eu caminhei até o rio
And I laid my burdens down
E entreguei meus fardos
Before the Taker and the Giver
Diante do que tira e do que doa
And I am finally found
Eu finalmente fui achado

sábado, 9 de novembro de 2013

É cedo pra falar de Natal?


O comércio diria que já estou perdendo tempo. Os que rejeitam as festas por causa dos simbolismos que não estariam associados ao Cristianismo diriam que não deveria falar nunca. Pagã que sou! Todos os dias são do Criador, por que celebrar em uma data?

Bem, amo minha mãe todos os dias, mas o dia do aniversário dela é especial. Uma data para apreciá-la mais, fazer algumas surpresas, preparar um presente, permitir-lhe algumas "regalias", como lavar a louça ou diminuir a pilha de roupas pra passar. 

Da mesma forma, amo Jesus todos os dias. Tem dias que esse amor parece mal caber no meu peito, outros dias é aquele amor mais recluso, guardadinho dentro do coração. Mas O amo todos os dias. E, todos os anos, há duas datas especiais para nós. Uma na qual me impressiono em como o Filho de Deus se despiu de Sua glória e poder para habitar o frágil corpo de um bebê. Tento imaginar como foi aquela noite tão preciosa para a humanidade - e não importa se ela aconteceu em um período do ano diferente, o que importa, de fato, é que ela aconteceu. "E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai." João 1.14

Para mim, esta é uma razão mais do que suficiente para relembrar, celebrar, me emocionar. E uma das formas de fazer isso tudo é decorar a casa, ouvir músicas de Natal e me esforçar o ano todo para, ao olhar pra trás em dezembro ver que aprendi e cresci e fui moldada (por Ele) em mais um ano, tornando-me uma pessoa melhor (para Ele).

Não sei porque, mas este ano a vontade de preparar a casa e me preparar para receber o Natal começou mais cedo! Geralmente a decoração só acontece depois do dia 15 de novembro, que é quando o feriado dá uma folguinha pra respirar e preparar tudo, mas desde a semana passada me programei para fazer isso um final de semana antes! E fiquei a semana toda ansiando por este momento! Não sei o que Ele está fazendo, o que tem em mente, mas está acontecendo. 


E estou aqui escrevendo porque baixei uns cds novos de Natal para acrescentar à lista "Christmas!" do player e comecei a ouvi-los enquanto tomava meu café esta manhã. E fiquei encantada pelo álbum que o Josh Wilson, de quem já falei por aqui, lançou no final do ano passado. "Noel" traz a mesma paixão no louvor que há no trabalho do "dia a dia" do Josh. Trabalho, talento, inspiração que eu amo! Enquanto o ouvia louvar e reparava em como ele trabalhou músicas compostas por ele e canções tradicionais de Natal só conseguia pensar "quanto poder em um álbum de Natal"! Estou aqui ouvindo e ouvindo de novo, admirada demais! Conheço muitos álbuns internacionais de Natal mas, até o momento, este é o mais especial pela forma que ele trabalhou. Não tem o objetivo de ser engraçadinho, de apenas embalar uma estação, mas é o servo de todos os dias usando todo seu talento e inspiração para louvar a grande razão da festa, o aniversariante-Verbo-Criador, neste período diferente do ano.

Vamos nos preparar para a festa? Vamos entregar, como os reis magos, o melhor que temos aos pés de nosso Senhor Jesus este ano? Vamos correr ao encontro do Senhor, como os pastores fizeram, durante aquilo que parecia uma noite comum e ao lugar que parecia o mais improvável para receber o Rei? Que o Espírito Santo nos guie e nos inspire nos dias de festa e nos dias comuns!


video



Do you hear what hear?

Said the night wind to the little lamb
Disse o vento noturno ao cordeirinho:
Do you see what I see
Você vê o que eu vejo?
Way up in the sky little lamb
Acima nos céus, cordeirinho,
Do you see what I see
Você vê o que eu vejo?
A star, a star
Uma estrela, uma estrela
Is dancing in the night
Está dançando na noite
With a tail as big as a kite
Com uma cauda tão grande como uma pipa
With a tail as big as a kite
Com uma cauda tão grande como uma pipa

Said the little lamb to the shepard boy
Disse o cordeirinho ao menino pastor:
Do you hear what I hear
Você ouve o que eu ouço?
Ringing through the sky shepard boy
Tocando através do céu, menino pastor,
Do you hear what I hear
Você ouve o que eu ouço?
A song, a song
Uma canção, uma canção
High above the tree
Uma canção, uma canção, elevada acima da árvores
With a voice as big as the sea
Com uma voz tão grande como o mar
With a voice as big as the sea
Com uma voz tão grande como o mar

Said the shepard boy to the mighty king
Disse o menino pastor ao poderoso rei:
Do you know what I know
Você sabe o que eu sei?
In your palace wall high and mighty king
Em seu palacio quente, poderoso rei,
Do you know what I know
Você sabe o que eu sei?
A Child, a Child
Uma Criança, uma Criança
Shivers in the cold
Tremendo no frio
Let us bring him silver and gold
Deixe-nos trazê-Lo prata e ouro
Let us bring him silver and gold, silver and gold
Deixe-nos trazê-Lo prata e ouro, prata e ouro

Said the king to the people everywhere
Disse o rei ao povo em toda parte
Listen to what I say
Ouçam o que eu digo
Pray for peace people everywhere
Orem por paz, povo em toda parte
Want you listen to what I say
Queiram ouvir o que tenho pra dizer
The child, the child
A Criança, a Criança
Sleeping in the night
Dormindo na noite
He will bring us goodness and light
Ele nos trará bondade e luz
He will bring us goodness and light, and light
Ele nos trará bondade e luz, e luz

Oh, come let us adore Him
Oh, vinde e adoremos a Ele
Oh, come let us adore Him
Oh, vinde e adoremos a Ele
Oh, come let us adore Him
Oh, vinde e adoremos a Ele
Christ the Lord
Cristo, o Senhor
For He alone is worthy
Porque Ele, somente, é digno
For He alone is worthy
Porque Ele, somente, é digno
For He alone is worthy
Porque Ele, somente, é digno
Christ the Lord
Cristo, o Senhor

We'll give Him all the glory
Nós entregaremos a Ele toda a glória
We'll give Him all the glory
Nós entregaremos a Ele toda a glória
We'll give Him all the glory
Nós entregaremos a Ele toda a glória
Christ the Lord
Cristo, o Senhor

-------
Do You Hear What I Hear? é uma canção de Natal escrita em outubro de 1962 com letras de Noël Regney e música de Gloria Shayne Baker. Os dois estavam casados nesta época e escreveram a música como um apelo pela paz durante a Crise dos Mísseis de Cuba. Foram vendidas milhares de cópias e regravada por centenas de artistas.


Adeste Fideles é uma canção de Natal que, há algum tempo, tem sido atribuída a John Francis Wade. No entanto, existem muitos outros autores prováveis ​​e os mais antigos manuscritos deste hino foram encontrados em uma biblioteca real em Portugal, com uma data anterior à atribuída a Wade. Os originais quatro versos do hino foram estendidos para um total de oito, e estes foram traduzidos em muitas línguas. Em Inglês, a tradução é O Come, All Ye Faithful, pelo padre inglês católico Frederick Oakeley.

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

November windy... rs

E novembro chegou... querendo ser agosto! Mas seja bem-vindo mesmo assim, e seja lindo! 

Com a graça e presença dEle... sempre!


quinta-feira, 10 de outubro de 2013

E o dia de amanhã?

Ainda vou vir aqui e terminar o estudo de Rute, mas hoje tenho outros pensamentos para compartilhar... rs Estava aqui ouvindo a canção Shepherd Boy, do Chris Tomlin, e minha mente viajou.


Nossa imaginação, nossos pensamentos são tão limitados, né? Felizmente encontramos na Palavra de Deus uma declaração [dEle] que nos explica: "Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor". [Is 55.8] Nós imaginamos nossas vidas dentro de uma ideia, de um produto, da nossa limitada imaginação. Às vezes, quando temos uma promessa que parece grande demais para nós, nos pegamos descrentes... nos perguntando como isso pode acontecer conosco... como nossa história pode mudar tanto assim?

Somos assim, não? Sei que eu sou.

Mas nesta música, o Chris se coloca na pele do jovem Davi. Quando Davi era apenas um adolescente franzino que cuidava de um rebanho - um menino pastor! -, louvando a Deus, ele se imaginava um homem de guerra? Ele se imaginava um rei? Ainda que ele tenha enfrentado e encarado de frente alguns perigos neste trabalho, você consegue se colocar no lugar dele? Você se imaginaria com um futuro completamente diferente?

Da mesma forma Moisés. Cresceu dentro de um palácio egípcio, aprendendo a cultura deste povo, desfrutando os privilégios de estar neste lugar e posição. Mas um dia o sangue em suas veias falou mais alto e ocorreu uma ruptura que o levou para o lugar onde Deus desejava encontrá-lo. E tudo mudou. Deus o colocou em uma posição totalmente inversa a que ele ocupava. Ele conheceu não apenas uma nova cultura, mas um novo Governo. Da fartura do Egito para um deserto aparentemente interminável... Será que o jovem Moisés imaginou, algum dia, um futuro tão diferente assim? No lugar dele, eu não imaginaria.

Não, eu não sei o que o futuro me reserva. Talvez eu tenha mais perguntas na minha cabeça a este respeito do que o número de dias que já vivi. Tenho alguns sonhos, muitos desejos e uma dificuldade enorme de fazer planos quando não sei bem qual o próximo passo a dar. Também tenho medos e inseguranças. E sei que neste momento até mesmo um futuro óbvio de marido e filhos não está tão certo, pelo menos racionalmente falando.

Mas de uma coisa eu sei: ainda que a minha imaginação seja limitada, a dEle não é.

"Porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos". Isaías 55.9




Shepherd Boy

Im no hero of the faith,
Eu não sou nenhum heroi da fé,
Im not as strong as I once thought I was
Eu não sou tão forte como pensei que era
Im just a shepherd boy,
Eu sou apenas um menino pastor
Singing to a choir of burning lights
Cantando para um coral de luzes acesas
Im just singing, singing over you
Estou apenas cantando, cantando para Ti
Come and lay your troubles down
Venha e deposite seus problemas
Cause love is breaking through
Porque o amor está vencendo

I was born to lift a song of hope
Eu nasci para levantar uma canção de esperança
See the heavens open up
Ver os céus abertos
Take this armor lest I die
Tome essa armadura antes que eu morra
Take this crown and let me fly
Tome essa coroa e me deixe voar
Were just singing, singing out to You
Estamos apenas cantando, cantando pra Ti
Our hearts are Yours forever
Nossos corações são Teus para sempre
Your love is breaking through
Teu amor está vencendo

Love is a fire
O amor é um fogo
Love is a fire
O amor é um fogo
Love is a fire
O amor é um fogo