sexta-feira, 1 de julho de 2011

Já dizia Exupéry...

Desde que traduzi aquele post da Kim Walker-Smith sobre relacionamentos, comentários e opiniões que ouvi comprovaram o que eu mesma já havia percebido: a experiência que ela viveu está muito longe da nossa realidade. E falo isso com base em minhas próprias experiências frustrantes e também na de várias amigas que tenho. Já tentei até definir um padrão para esse comportamento indeciso e sem atitude: "é típico dos homens metodistas", mas então surgiu exemplares de outras igrejas, então, "é coisa dos mineiros", mas aí observamos "gentes" de outros estados agindo da mesma forma. Ficou difícil, então, estabelecer uma amostragem... rs

Provavelmente este seja um problema geral entre os homens cristãos, mesmo aqueles mais consagrados a Deus. E não estou tirando a parcela de culpa da classe feminina falando assim. Porque é óbvio que também temos culpa. Se couber ainda falarei sobre isso também.

Mas qual a principal reclamação que ouço e percebo por parte das meninas? Que fique claro que estou falando também de meninas sérias (afinal, esse post se baseia na minha experiência e na experiência de amigas queridas e amigas queridas dessas amigas... rsrs "diga-me com quem andas"!). Os meninos cativam, e depois correm.

Eu não sei se é ingenuidade ou irresponsabilidade. Ingenuidade de achar que você pode tratar uma menina como alguém especial, envolvê-la na sua vida, demonstrar interesse sincero em sua opinião, talvez até elogiá-la e usar apelidos carinhosos, sem esperar que ela veja nisso um interesse de sua parte e (talvez) comece a se interessar também. Estudos já apontaram (acho que todo mundo sabe disso) que, enquanto os homens são atraídos pelo que veem, as mulheres são atraídas pelo que ouvem. A audição é mais importante para se conquistar uma mulher do que a visão, o contrário do que acontece com os homens (e infelizmente até norteia a escolha da maioria... né?!).

O pensador Antoine de Saint-Exupéry, em sua obra mais célebre, O Pequeno Príncipe, já dizia: "Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas". Esse "eternamente" é um pouco pesado e, apesar de ser possível pegar pesado com isso, não é meu objetivo aqui. Posso dizer que quando era mais imatura, acho que já cativei algumas pessoas com quem não queria ter nenhuma responsabilidade, mas isso está no passado, graças a Deus. No entanto, quantos filhos de Deus não têm agido com essa irresponsabilidade e cativado meninas sem nem saber o que fazer com isso?

Acho que ergueria um monumento à menina que realmente não for um pouquinho ansiosa que seja com sua vida sentimental, que não pensa nisso mesmo diante do "espécime" mais consagrado, lindo e fofo que estiver na sua frente. Sério mesmo. Uma dessas minhas amigas queridas é uma tremenda mulher de Deus, grandemente usada por Ele, que tem sua vida totalmente no altar e nas mãos d'Ele, e ela pensa nisso. Temos um radar, um sensor (tô me segurando pra não falar 'maldito' rsrs) que não deixa estarmos totalmente desligadas nesse sentido. Pode ser que se passem semanas de paz e tranquilidade, mas aí chega um período hormonal simpático que traz o assunto à tona. Estes nunca vão ser os melhores momentos para tomar decisões... hehe Não me entendam mal, podemos viver sem isso e sermos plenamente satisfeitas pelo Pai, trabalharmos na Obra d'Ele com alegria, empenho e amor, mas nem por isso vamos deixar de esperar por companhia nesse trabalho... Só dou um desconto praquelas meninas que saíram de um relacionamento conturbado ou mesmo vários relacionamentos sem sentido e só depois disso descobriram a alegria de servir ao Pai. Elas vão mesmo precisar de um tempo pra conhecer aquEle que é realmente o Amado de suas almas, seu Noivo e cavaleiro da armadura brilhante. E também, depois de fazer tanta burrada, é realmente um refrigério estar sozinha. Mas e quem está sozinha desde 'sempre', esperando pela vontade de Deus? Dá um tempo. Concordo com a Kim que frases como "quando você menos esperar" ou "Deus não trabalha na ansiedade" não vão surtir muito efeito.

Mas voltando a falar dos meninos... Comentei sobre a possibilidade de ser ingenuidade esse comportamento, né? Falemos agora sobre a irresponsabilidade. Pode ser que haja aqueles que queiram ter muitas "opções" e por isso vão cativando todas que puderem e dando corda. Como se o coração dessas meninas fossem meros brinquedos. Isso, além de irresponsabilidade, é egoísmo. Talvez por responderem às coisas do coração com mais objetividade, eles achem que seja fácil pra nós também.

Às vezes a gente fica na dúvida se eles estão esperando (meninos, vai chegar uma hora que Deus vai falar pra vocês que não é mais pra esperar, que é hora de 'conquistar a terra', porque esse é um papel de vocês!) por uma menina tão santa que está prestes a ser arrebatada antes dos demais, ou uma Barbie. Onde ficamos nós, meninas reais, nesse meio? rs Os da primeira categoria têm os requisitos escritos já: cozinhe, passe, pregue, fale em línguas, interprete-as, tenha o dom de profecia... hehe Os outros: loira, cabelão, com tudo em cima, saiba se maquiar... Claaaaro que esses requisitos vão variar de cara pra cara, né? Dependendo das preferências de cada um... rsrs

Como mencionei anteriormente, essa coisa de ser atraído pelo que vê acaba pesando mais na escolha de alguns. Como metodistas (quem não é vai saber dessa história agora... rs), já ouvimos muito falar que a esposa de John Wesley era uma pedra no sapato do ministério dele. Graças a Deus, ela não impediu que Deus fizesse Sua obra por meio da vida dele, mas imagino que sua caminhada pudesse ter sido melhor e ainda mais frutífera com uma mulher que andasse junto com Ele. Acho que muitos cristãos (homens), não têm se preocupado muito com a opinião de Deus quando vão escolher suas companheiras de caminhada. E acabam andando sozinhos, ou andando mais devagar, ou até parando de andar nos caminhos que Ele indicou... Falo isso com tristeza. Fico triste em ver tantos homens que poderiam fazer tão mais com a ajudadora certa ao lado deles, mas preferiram cuidar dessa área sozinhos...

Não estou lembrando se ainda tinha algo mais pra acrescentar a esse assunto... rs Acho que falei demais, não só no sentido de quantidade... mas Deus mandou soltar o verbo muuuuuitos posts atrás, então... hehe
Só falando um pouco sobre nossa culpa nessa história. Quando tentamos facilitar a vida dos meninos naquilo que é papel deles, por ansiedade, ou agimos como leão em volta da presa, com medo de outras chegarem na frente, ou não damos nosso devido valor pela forma como nos apresentamos, ou ainda anulamos nossa personalidade para sermos mais "atrativas"... estamos reforçando esse comportamento. Creio que isso seja passado na vida da maioria que lê esse blog, mas, se não for, é hora de mudar. Deus tem muito mais pra fazer em nós, por nós e através de nós. Fomos criadas pra adorá-Lo, não pra nos casarmos. Isso pode ser parte do pacote, afinal, como disse o Lucado um tempo atrás, é muito mais agradável trabalhar acompanhado/a, né?! Deus sabe disso. Foi Ele quem nos criou... =)

"Amar não é olhar um para o outro, é olhar juntos na mesma direção". 
Exupéry




Could I talk to you sometime this afternoon?
Eu poderia falar com você alguma hora essa tarde?
About some things I know I'm reading into
Sobre algumas coisas que acho que estão implícitas
Because you and me come at this differently
Porque eu e você pensamos diferente sobre isso
And I'm just trying to be honest with you
E estou apenas tentando ser honesta com você

Now that I've found you in the most unexpected places
Agora que eu te descobri nos lugares mais inesperados
You were right in front of my face
Você está bem na minha frente

You could be the one that I could hold on to forever, hold on to forever
Você poderia ser aquele a quem vou me apegar para sempre, me apegar para sempre
You could be the one
Você poderia ser aquele

Yeah, I get it
Sim, eu entendi
Go change the subject
Vamos mudar de assunto
But I can't forget how much this seems to fit
Mas eu não consigo esquecer o quanto parece se encaixar
When you feel this way
Quando você se sente desse jeito
Everything sounds so cliché
Tudo soa tão clichê
But I'll try to explain my side of this
Mas vou tentar explicar meu lado nisso

Now that I've found you in the most unexpected places
Agora que eu te descobri nos lugares mais inesperados
You were right in front of my face
Você está bem na minha frente

You could be the one that I could hold on to forever, hold on to forever
Você poderia ser aquele a quem vou me apegar para sempre, me apegar para sempre
You could be the one
Você poderia ser aquele

Maybe you are the kind that doesn't want to say it
Talvez você seja do tipo que não quer falar isso
I should just let you be
Eu deveria apenas deixar você ser
But maybe if I spoke up that would be enough
Mas talvez se eu falasse seria suficiente
To give my mind some peace
Pra dar algum sossego à minha mente

You could be the one that I could hold on to forever, hold on to forever
Você poderia ser aquele a quem vou me apegar para sempre, me apegar para sempre
You could be the one
Você poderia ser aquele

4 comentários:

PASTOR LUGON disse...

Bom, eu diria o seguinte: "Eu sou aquele amante a moda antiga, do tipo que ainda manda flores". É, eles não frequentaram a mesma sala de aula que eu. Esse é o problema!

Renata Tibiriçá disse...

Muitooooo boa sua opinião e sua "ripada", Susu! Adorei! hahaha

Vc já viu/ouviu esse testemunho/poema dessa americana aqui >> http://blogselah.com/poema-dia-dos-namorados-a-espera-do-amado/ ??
Fez o maior sucesso nos EUA e fala muitas verdades (neste caso, mais pras meninas)!

Beijos! =)

Revolução do Amor. disse...

Ah, tenho que dizer, isso foi lindo. Eu nem sei bem ao certo como vim parar aqui, mas gostei disso.

No Amor,
@messiaspe

Revolução do Amor. disse...

Manda pra mim o link com o texto da Kim Waker que você mencionou?

@messiaspe