sexta-feira, 6 de maio de 2011

Tira a trave!

Hoje vamos tratar de um "assunto polêmico"! rs

Eu já disse que não gosto muito de ser conhecida pelo termo "crente". Há muitos crentes em Jesus, pessoas que creem n'Ele, mas poucos cristãos (pequenos cristos), pessoas que O imitam.

Nessa discussão toda que permeou a aprovação da união homoafetiva pelos ministros do Supremo Tribunal Federal, um versículo me veio à mente: "E por que atentas tu no argueiro que está no olho de teu irmão, e não reparas na trave que está no teu próprio olho?". Lc 6.41 Respeito as opiniões contrárias, e não estou aqui para fazer apologia a nada, mas quero lembrar a todos que Deus odeia o homossexualismo, mas ama o homossexual.

Quando Jesus andava por essa terra como homem, creio que essa prática não era muito difundida, era mais velada, mas imagino o que não significava um adultério na rígida sociedade judaica! Mas Jesus esteve diante de uma adúltera e não a condenou [o único que realmente poderia!], pelo contrário, disse que ela não deveria pecar mais. Ele teve compaixão por ela. Porque a amava!

Mas a maioria dos crentes se porta como os fariseus - defensores ardorosos da lei, mas não-praticantes dela! Porque "tudo bem" fazer sexo antes do casamento, trair, mentir, ser egoísta e não atender aqueles que necessitam de alimento ou justiça. "Tudo bem" tirar vantagem na hora de declarar o Imposto de Renda, falar palavrão quando o time perde ou mesmo guardar ódio ou rancor contra alguém. Pra Deus é tudo pecado do mesmo jeito e machuca profundamente o coração de d'Ele. Mas nós fazemos vista grossa. "Ah, é só pedir perdão depois"! Como se Deus fosse bobo e não conhecesse nossos corações.

Em Mateus 3.8, João Batista, o enviado do Senhor para abrir caminho pro Messias, já alertava o povo: "Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento...". Fruto de arrependimento é mudança de comportamento, não o balbucio automático de algumas palavras pra se ver livre da culpa. Uma oração assim nem alcança os ouvidos de Deus. O padrão que o cristão deve seguir é mais apertado, e sua responsabilidade e juízo também, porque conhecemos a Verdade.

O casamento deveria ser um sacramento divino, mas há quanto tempo não é assim? Quantos não se casam pelas intenções erradas? Hoje em dia as pessoas podem se divorciar imediatamente. O casamento se tornou apenas um contrato civil e, posso afirmar com pesar, Deus não está presente em boa parte das uniões - mesmo as celebradas nas igrejas. Está tudo errado há muito tempo. E se isso é um contrato civil, os homossexuais também têm os direitos que advém com ele. Não é a lei de Deus, é a lei dos homens.

Como vamos demonstrar o amor de Cristo apontando, ridicularizando ou condenando? Precisamos eliminar o pecado das nossas vidas, nos consagrar totalmente a Deus, se quisermos fazer alguma diferença real na vida de todos aqueles que estão escravizados pelo diabo.

"O Senhor diz: 'Esse povo se aproxima de mim com a boca e me honra com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. A adoração que me prestam só é feita de regras ensinadas por homens. Por isso uma vez mais deixarei atônito esse povo com maravilha e mais maravilha; a sabedoria dos sábios perecerá, a inteligência dos inteligentes se desvanecerá'. Ai daqueles que descem às profundezas para esconder seus planos do Senhor, que agem nas trevas e pensam: 'Quem é que nos vê? Quem ficará sabendo?' Vocês viram as coisas de cabeça para baixo! Como se fosse possível imaginar que o oleiro é igual ao barro! Acaso o objeto formado pode dizer àquele que o formou: 'Ele não me fez'? E o vaso poderá dizer do oleiro: 'Ele nada sabe'?" 
Isaías 29.13-16

Um comentário:

Mendel Paradela disse...

MARAVILHOSO o texto!
Concordo 101% com ele!
Glória a Deus!
Precisamos de mais cristãos e menos "crentes"!