terça-feira, 21 de abril de 2009

Say a prayer...

Há praticamente um ano atrás, dia 15 de abril de 2008, eu voltava de minha primeira viagem de férias depois de me formar. Foi um presente de Deus, pude conhecer Buenos Aires [que era uma das cidades no exterior mais básicas da minha lista] na companhia de uma amiga querida e ainda em pleno outono...

O dia 15, como já disse, foi o dia marcado para nossa volta depois de alguns acertos e contratempos na ida, como atraso e troca de vôos. Já sentia saudade da minha família, igreja, amigos, país (quem diria... em tão pouco tempo... rs)! Por causa das mudanças em nossos planos, os lugares no voo não estavam mais lado a lado. Até Guarulhos, uma boa alma quis trocar de assento pra que voltássemos juntas. Mas no segundo voo, já para minha cidade, ela se sentou bem na frente e eu permaneci esperando os demais ocupantes do meu lugar... que não apareceram. Como já era hora de apertar os cintos e não a enxergava lá na frente, fiquei sozinha e confortável na fileira, sentando-me à janela, claro!


Aquele lugarzinho lá foi um privilégio, um presente.

Já era noite. Uma bela noite estrelada. E no meu fone de ouvido começou a tocar "Say a Prayer", da Sara Groves [a famosa!]. Uma música maravilhosamente inspirada por Deus, como todo o trabalho dela. Vocais, melodia, letra... tudo transmite uma paz sem igual.
O melhor era que eu não precisava olhar para cima para ver o céu, olhava para o lado. Via as estrelas, as cores da noite e pensava: "Estou mais perto da morada do meu Pai".

E enquanto a Sara repetia "Say a prayer, say a prayer in the night" [Diga uma oração, diga uma oração na noite], eu orei. Na sinceridade do meu coração, agradeci e coloquei minha vida diante d'Ele mais uma vez. E foi especial. A ponto de encher meus olhos d´água neste instante. Porque a partir daquela oração Ele encontrou o espaço que ainda faltava pra fazer coisas novas e lindas dentro de mim, a prosseguir com a vontade d'Ele, que é boa, agradável e perfeita. E eu não me arrependo de cada convite que eu abri mão, de cada festa, copo, boca... porque é infinitamente melhor conhecer a esse Deus de perto do que qualquer outra coisa que esse mundo tenha pra me oferecer. E eu sei que muito mais Ele tem, porque ainda é muito pouco a alegria que eu tento dar àquEle que abriu mão de sua Soberania, vontade e vida pra eu que eu pudesse ser filha de Deus.

Glória a Deus por aquela oração. Hoje eu tenho consciência do que ela significou, só hoje - hoje mesmo! Porque só agora eu posso ver o quadro com várias pinceladas de Deus. Foi um momento lindo que vou guardar na memória, mas não foi simplesmente a música, altura ou lugar que deu a essa oração o valor que ela teve e, sim, a sinceridade do meu coração para com Ele. Isso não depende do contexto ou cenário, depende somente da vontade de cada um.
"Childhood runs across the meadow
Taken in the night

Told it will be working

In the city for a while


Staring from the windows
Leaning in the door

Flickering like a candle
Lying on the floor


Say a prayer

Say a prayer

In the night
Say a prayer

Say a prayer
In the night


Childhood working with your papa

Chained to your mom

This is all you live for

Debts that linger on


Bearing all the glory

Bearing all the weight

Knowledge of such hardship

At such a tender age"
[Do álbum, Tell me What You Know]

3 comentários:

Carlos Henrique disse...

Muito legal o seu texto.
Fique na Paz.

Lucivagno disse...

Muito bacana as lições trazidas pelo teu texto. A oração tem sim de fato significado para cada pessoa dentro do seu contexto. Que você possa continuar usufruindo das bênçãos do nosso bom Deus. Fica na paz.

Julio disse...

Bacana a experiência... penso que falta a comunidade cristã do tempo presente viver de um modo mais relevante e significativo... falta-nos aprender a viver e tirar grandes experiências da simplicidade do nosso cotidiano... oração não tem hora e nem lugar pra ser tornar perfeita... ela se torna perfeita quando nos propomos a fazê-la, seja num avião, no ventre de um peixe ou na própria cruz! Tenho me convencido cada vez mais de que viver é aproveitar o máximo do mínimo de cada dia... Sabendo que a oração na sua essência maior é falar com o próprio Deus, então que este meio (a oração) nunca deixe de ser a experiência máxima nossa de cada dia!

É isso ai Suéllen... continue nessa! Enjoy today!

Júlio ;)